Conhecer o Perito Moreno em poucas horas

O Perito Moreno é um glaciar enorme que mede aproximadamente 60m de altura, equivalente a um prédio de 30 andares! O bloco de gelo em que está localizado é o terceiro maior do mundo, perde apenas para Antártida e Groelândia. E, cerca de 80% desse bloco está em território chileno, inclusive é o mesmo que compõe o Lago Grey em Torres del Paine. Por outro lado, a parte que pertence à Patagônia Argentina é mais acessível e pode ser visitada por diversos meios: navegação, carro ou caminhadas.

perito-moreno-los-glaciares
Olha essa panorâmica do Perito Moreno: o lugar é ou não incrível?

Hoje, a área do glaciar transformou-se em Parque Nacional Los Glaciares e para acessá-lo é preciso pagar. Para nós brasileiros o ingresso custa mais barato devido ao Mercosul, $21 USD. Uma vez lá, há diversas formas de se explorar o parque, a mais comum e barata é andar pelas passarelas que cercam todo o glaciar, por elas é possível ter uma visão ampla de toda extensão do bloco de gelo. Pode-se também fazer uma navegação, que vai bem próximo do Perito e custa $25 USD, ou realizar o trekking no gelo, disponível em duas opções: o mini trekking com duração de 1h30 e o normal que dura 5h.passarelas perito moreno.jpg
Para quem faz bate-volta desde Torres del Paine, como foi o meu caso, as opções de como conhecer o Parque Nacional Los Glaciares em poucas horas mais são restritas. Por exemplo, não há tempo disponível para realizar o trekking, infelizmente. Desse modo, opte por caminhar pelas passarelas ou fazer a navegação. Eu escolhi fazer a navegação e achei muito passeio turistão: o barco chega perto do glaciar e todas as pessoas se espremem na borda para uma foto, o barco muda de lado e todos também. A parte mais legal é quando algum bloco de gelo se desprende e cai, fazendo um barulhão e formando ondas.

A vista das passarelas é bem mais bonita e ampla, é possível ter uma noção de quão grande é o glaciar. Além disso, caminhar por elas é a forma mais econômica de conhecer o Perito Moreno, afinal, você já terá pago o ticket de ingresso ao parque.

passarelas-no-parque-nacional-los-glaciares
Passarelas no Perito Moreno

Independente da forma, se será trekking no gelo, passarela ou barco, ver o Perito Moreno é certeza de deslumbramento. Ter a oportunidade de presenciar um pedaço se desprender do bloco de gelo já nem é coisa rara, mas ainda é surreal. Quando vi tanto gelo cair na água só conseguia pensar em aquecimento global, fim do mundo e sustentabilidade – um pouco neurótica, eu sei. Isso é o que acontece quando o lugar tem tanta energia que te deixa assim: embasbacada, impressionada e tantos outros adjetivos possíveis.

bloco-de-gelo-perito-moreno
Bloco de gelo que se desprendeu

Siga @asviagensdetrintim no Instagram para ver essas e outras fotos maravilhosas de viagem!

 

Bate-volta: de Torres del Paine para El Calafate

Sabe aqueles passeios que você fica empolgada para ir, mas depois percebe a burrada que fez? Pois é, com o bate-volta para El Calafate foi assim. Não me leve a mal, o Glaciar Perito Moreno é incrível, a cidade de El Calafate é um charme, só que ir do Chile para a Argentina e voltar no mesmo dia não é essa maravilha toda. Basicamente, você passa o dia inteiro dentro do ônibus e apenas 2h no Parque Nacional Los Glaciares.

Para ir para El Calafate você pode reservar, em uma das agências de Puerto Natales, o Full day El Calafate ou comprar sua passagem no terminal rodoviário da cidade, na alta temporada os ônibus saem diariamente às 8h30 pela empresa Cootra. Se optar pela primeira opção, o transfer passa às 06h para te buscar na sua acomodação e seguir viagem rumo a Argentina. É importante lembrar que, por ser um trajeto internacional, você deve levar seu passaporte, brasileiros podem viajar entre Chile e Argentina com o RG válido e em boas condições.panoramica-perito-moreno

Panorâmica do Glaciar Perito Moreno

São quase 6 horas de viagem para ir até El Calafate. Do centro da cidade argentina até o glaciar Perito Moreno são mais 80km, ou seja, mais 1 hora de estrada. Isso tudo para chegar, depois é preciso fazer todo o caminho de regresso, no total são mais de 12 horas dentro do ônibus. Por sorte, os eles são confortáveis. Entretanto, as paradas no percurso são nas aduanas Chilenas e Argentinas e em uma loja de conveniência de um posto de gasolina, por isso, é bom levar consigo snacks e água para encarar a estrada. Livros, tablets, passatempos e dramin (remédio para enjoo) também serão bem-vindos. A chegada em Puerto Natales é programada para às 22h, mas fique tranquilo porque sempre atrasa um pouquinho – eu cheguei no hostal às 22h40.

A parte boa é que cidade de El Calafate é muito charmosa, me lembrou uma mistura entre a região serrana do Rio de Janeiro e a Serra Gaúcha. Todo esse charme merece mais atenção, fazer o passeio bate-volta não te possibilita apreciar a cidade. El Calafate é muito bonita para apenas algumas horas, o ideal é ficar pelo menos uma diária por ali e retornar a Torres del Paine no dia seguinte.

  • Bate-volta para El Calafate vale ou não a pena?

Bom, acho que só vale a pena encarar mais de 12 horas de estrada se você não tiver outra opção mesmo e quiser muito conhecer o Perito Moreno. Podendo escolher, opte por ficar, pelo menos, uma diária em El Calafate para desfrutar da cidade.

Hosteria Pehoé em Torres del Paine

Eu queria passar uma noite no Parque Nacional Torres del Paine e os hotéis por lá são bem caros. Pesquisei diversas possibilidades e a que mais me agradou, principalmente no bolso, foi ficar uma diária na Hosteria Pehoé.hosteria-lago-pehoe

Além de ter um visual incrível, a Hosteria me conquistou ainda virtualmente por estar no meio do Lago Pehoé. O único acesso é realizado por uma ponte. As reservas eu fiz com seis meses de antecedência, na época o Booking.com já afirmava que o hotel estava 80% reservado, ou seja, na alta temporada tudo esgota rapidamente.

Para quem não sabe, Hosteria basicamente é um restaurante que tem alguns quartos para hospedagem. A no Lago Pehoé não tem tantos quartos disponíveis, é por isso também que as reservas esgotam rápido. Todas as acomodações são simples, com aquecedores, bons cobertores, colchão confortável e possuem até banheira.

Como a Hosteria é um dos poucos restaurantes dentro do Parque, eles dispõem de café da manhã, almoço e jantar para o público, além disso, durante todo o dia é possível pedir porções de aperitivos ou bebidas. Inclusive, é a parada de almoço dos ônibus turísticos que rodam diariamente pelo Parque, não estranhe se no meio do teu almoço chegar um grupo enorme para realizar a refeição nas mesas ao redor. Só tenha em mente que comer ali não é barato: a cerveja Austral pequena custava $7 USD e um sanduíche de queijo $16 USD.

DCIM100GOPRO

Um dos pontos negativos é que o Wi-fi na Hosteria era péssimo. Não suportava a conexão de vários aparelhos simultaneamente e a área de cobertura era apenas o restaurante, não funcionava nos quartos. Por sorte estava com meu chip da Easy Sim 4 U, salvador da pátria.

Em contrapartida, ficar uma noite por ali me proporcionou uma das visões mais bonitas de toda a viagem: o amanhecer com visão para as montanhas nevadas. Atrás do restaurante na Hosteria tem uma pequena trilha, pequena mesmo! Uma subidinha de três minutos que te dá acesso a um lugar exclusivo com vista deslumbrante. Mesmo se passar por ali só para almoçar, vá ver esse mirador e fique tão encantado quanto eu fiquei.